quinta-feira

Love, love, love!

Even from just the sound of your voice on the phone in the morning or late at night......you rock my world Eva.




Por muitos motivos, mas principalmente porque gostávamos um do outro e queríamos muito estar juntos, faz hoje 15 anos que nos casámos. Com direito a igreja (Basílica, na verdade), Monsenhor, sermão loooongo e tudo o resto.
Foi uma celebração que não era só para nós, por isso as minhas convicções religiosas (ou a falta delas) não foram para ali chamadas. Foi um dia bonito, frio, rodeado de gente querida com quem não tive tempo de falar como queria.
O bolo era maravilhoso, mas as toalhas das mesas eram amarelas - o horror, a tragédia - logo comigo que não gosto de amarelo, logo naquele dia! Não estragou nem um pouco a minha disposição, valores mais altos se levantavam, mas o impacto visual não foi o que esperei - tinha escolhido toalhas verdes, claro!
O meu vestido era giro - vestido de inverno, com mangas compridas e um casaco como o da Cinderela, desenhado por mim, feito pela minha mãe - mas o cabelo estava horroroso! Da maquilhagem nem se fala! Adiante!

Entretanto passaram estes anos todos e confesso que apesar de não valorizar particularmente o simbolismo da coisa, nunca deixamos passar em branco. Quando conseguimos, não trabalhamos, vamos passear, ver o mar, vamos à serra, e todos os anos - mas todos mesmo - vamos jantar ao mesmo sítio, comer a mesma coisa!

Já lá vão 15 anos, com mais seis antes destes, portanto uns jeitosos 21 no total, e durante este tempo não conheci nem vi ninguém que quisesse ao meu lado em vez do Nuno.
Ainda hoje não conheço ninguém melhor do que ele, e tenho uma sorte dos diabos por poder partilhar os meus dias com um miúdo tão fantástico!
Divirto-me tanto com ele, rio tanto, adoro a paz que temos.
Venham mais 15, venham mais 21, venham mais 50!

Já nem me lembro da minha vida antes de o amar!
E assim é que está bem.



Um dia ponho-me a esmiuçar esta tragédia que é já terem passado 21 anos desde que nos conhecemos... 21 oi?! Mas como, quando? Para onde foi o tempo?!! Nem o vi passar!

*
*

quarta-feira

Cuidado!!


Acho que ninguém tem uma vida onde só existam dias coloridos como o arco-íris, onde só se ouvem os passarinhos a cantar e os sinos da igreja da aldeia a repicar.
Às vezes os dias são cinzentos e os únicos sons que se ouvem são as buzinas dos carros e o cão do vizinho a ladrar (ou o próprio vizinho!).

É por isso que gosto de me rodear de gente alegre, bem disposta de bem com a vida; com muito mimo, gargalhadas e abraços para dar.
É por isso que mesmo que esteja mal, mal, para lá de Bagdade, não perco as aulas de Zumba à terça à noite. Divirto-me como nunca (bem, tanto quanto à sexta às cinco, mas a terça à noite tem outro sabor), danço, canto - muito mal, já sei - e dou e recebo mimo, abracinhos e sorrisos com fartura.
Gosto da vibração que a sala tem quando se juntam pessoas com um único propósito: passar uma hora boa, num ritmo só nosso, sem as chatices da vida quotidiana.

E como já disse antes, encontrei nestas aulas verdadeiras pérolas em forma de gente, amigas  a quem quero bem, que me aquecem o coração e me fazem sentir querida também!
Preciso de alegria como de ar.

E a alegria é contagiosa! Cuidado!!

*
*

sábado

Faltam 11 dias... Espera lá, 11 dias?!!

*

Cá em casa adoramos o Natal.
Eu sempre gostei, mas desde que estou com o Nuno, há meia vida, portanto, gosto ainda mais, porque sabe muito melhor fazer e celebrar estas coisas a dois. Fazemos a árvore, ou a pinheira, como se diz na minha terra, decoramos a casa, fazemos (mais) bolachas e começamos a afiar o dente para o bacalhau que, não sei bem porquê mas na noite de Natal tem um sabor diferente.

Este ano estou um bocadinho afogada em trabalho e espero acabar tudo o que tenho para acabar antes do Natal. Estou a começar a ficar exausta e ainda tenho um bom trecho do caminho pela frente.
Por isso, por um lado desejo que o Natal chegue rápido, por todos os motivos e mais um; por outro, quem me dera que ainda faltassem dois meses, para poder trabalhar devagar e dar descanso aos ombros.

A verdade é que não vi este ano passar.
E tenho a sensação que ando a dizer isto já de há uns anos para cá!
Sem me considerar de todo velha, nem pensar exageradamente na morte, isto fez sentido:





Lido num livro maravilhoso, que se chama O Homem de Lewis, do Peter May e que vai sair em breve, tradução aqui da Aninhas!

E para o livro sair, adivinhem?!
Vou trabalhar!

*
*



sexta-feira

The world's a better place when it's upside down!


Displaying fotografia.JPG



Quem passa no corredor acha que estamos só para ali com macaquices, malabarismos ou a andar num baloiço de gente crescida.
Não faz mal, é deixá-los achar. Eu sempre gostei de guardar segredos bons, de ficar com as pérolas para mim!
Estou tão apaixonada pelas aulas de Anti-gravity que por mim fazia todos os dias, e se pudesse, se tivesse dinheiro e espaço para isso, comprava um hammock e instalava-o em casa.

O esforço físico é tão localizado, tão complexo e por vezes tão doloroso que nos obriga a pensar SÓ naquilo, nas sequências de movimentos, na construção e na segurança - sim, continuo a não querer bater com a pinha no chão!
E depois a paz.
No fim da aula, balançar suavemente envolta num ninho de seda é uma das melhores sensações que alguma vez experimentei.

Mas quem passa no corredor, acha que estamos só a dormir uma soneca num lençol...
É deixá-los!


quinta-feira

É difícil gerir as emoções


...



É difícil gerir as emoções, as boas e as más, quando as pessoas mais próximas do nosso coração estão a passar por momentos complicados.
A imparcialidade é uma noção impossível de pôr em prática e nestes últimos tempos oscilo entre a indignação, a raiva, a sensação de impotência, a incompreensão e os instintos assassinos...
O que dizer, o que fazer quando vemos um amigo a sofrer com a derrocada inesperada de uma vida, de um amor, que parecia certo?
Não há cliché que nos valha, não há frase motivadora que adormeça a tristeza, não há história que dê esperança.

Dizem que o tempo cura tudo e normalmente acredito. Mas acredito também que há coisas que deixam cicatrizes para sempre e que alteram um pouco a capacidade de confiar e de acreditar.
E deixar de confiar e de acreditar no amor é triste.

*
*



quarta-feira

Um dia

That's how I see every day of his deployment....  One day closer.




Um dia, quando não me importar mesmo nada com aquilo que as pessoas pensam de mim, começo a fazer uma lista de todas as coisas que acho uma falta de respeito, de consideração e civismo.
Não vai ser hoje.
Mas um dia.

*
*

sexta-feira

Tempo



Queixo-me muito, como quase toda a gente que conheço, de que o dia é curto, de que as 24 horas não chegam para fazer tudo o que queria e precisava de fazer, e que vai desde coisas tão importantes como dormir, trabalhar, namorar, ir ao ginásio, estar com os amigos, até às mais prosaicas como ver trash-tv, ler, costurar, ver trash-tv, passear, organizar cenas, ver trash-tv... enfim.
Acho que o problema não está no pouco tempo que tenho disponível (porque o tempo é o mesmo para toda a gente), mas na forma como o utilizo, como rentabilizo as horas.
Não gosto de ser escrava de horários fixos, a ausência de rotinas é um dos motivos que me faz gostar tanto da minha profissão e da forma como trabalho - estou no paraíso do freelancer! - mas às vezes dá-me vontade de arranjar um horário aos quadradinhos, como aqueles que tínhamos no liceu, e estabelecer horas para as coisas.

Tenho cumprido mais ou menos os objetivos a que me disponho no início de cada Ano Novo, por isso, quem sabe se o de 2015 não será qualquer coisa como:

Gerir melhor o tempo.

Não sei se é original, parece-me que já foi objetivo do ano várias vezes, mas uma pessoa não pode parar de tentar. Certo?

:)

If at first you don't succeed, do it two more times so that your failure is statistically significant!   Psychology humor


*
*


quinta-feira

Aarrrghhh!

True story.





Hoje tive de ir às Finanças depois de ter corrigido um erro no meu IVA, de ter pago o que devia, mais as belas das coimas aplicáveis, porque os senhores não "processaram" o meu pagamento e queriam que pagasse o que efetivamente já paguei.
Ia tranquila como uma "esquila", porque corrigi um erro meu e fui só pedir-lhes que corrigissem o deles.
Mas para o fazerem tive de pagar mais 25 eurinhos, para "desbloquear" o processo.

Vamos lá pôr isto em português:
Eu cometo um erro, regularizo e pago coima.
Eles cometem um erro e para regularizarem EU tenho de pagar coima.
...
É de mim, ou isto é mesmo meter a mão no bolso das pessoas?...

Valeu-me uma amiga que ajudou a que tudo fosse tratado com maior celeridade. Mas mesmo assim, os 25€ ficaram do lado de lá.

sigh...


*
*

segunda-feira

Assim vale a pena!

Download free Colorful Smilies Mobile Wallpaper contributed by lowees, Colorful Smilies Mobile Wallpaper is uploaded in Abstract Wallpapers category.




Há pessoas com quem dá tanto gosto, mas tanto gosto trabalhar que nem há explicação!
Eu adoro o meu trabalho, adoro a falta de horários fixos, adoro a liberdade que me dá e só tenho pena de por vezes não a saber aproveitar e capitalizar da melhor forma.
Mas ter coordenadores editoriais que confiam em mim, que me dão essa liberdade quando quero fazer as coisas à minha maneira é absolutamente impagável!

*
*

quarta-feira

Dias felizes!

Happy Birthday





Hoje faz anos o amor da minha vida, a melhor pessoa que conheço, o homem que gostava de ter sempre ao meu lado, até sermos velhinhos, enrugados e chatos, até morrermos de mãos dadas!
Hoje é o melhor dia do ano, em pé de igualdade com o meu próprio dia de anos, porque se o Nuno não tivesse nascido, tenho a certeza de que a minha vida seria uma valente bosta!
Gosto tanto de ver os anos a passar por nós e nós a passar pelos anos!

Amo-o, adoro-o com uma serenidade, uma certeza que nunca pensei sentir, eu que sempre fui tão inquieta, tão inconstante; vai-se a ver e faz hoje 21 anos que nos conhecemos. 21!!
A minha vida é tão melhor com ele, eu sou tão melhor com ele!
Venham mais 41!

Happy B'day, Love!

*
*

sábado

Aceitam-se sugestões!

Game of Thrones Winter Is Coming Mug | 24 TV Show Coffee Mugs That Are Perfect For Both Your Coffee And TV Addiction






Ando aqui um bocadinho órfã de séries de jeito.
A primeira temporada da The Strain acabou e só deve voltar lá para o início do verão, a terceira temporada do Sherlock e a quarta do Girls só voltam em janeiro e a Game of Thrones deve voltar para Abril. A Orange is The New Black não faço ideia quando volta.
Ainda não comecei a ver o How to Get Away With Murder, nem o House of Cards.
Vejo o Scandal a conta-gotas e ando a poupar os episódios de Downton Abbey, para ocuparem o resto de novembro e dezembro.

Entretanto, entretenho-me na tv com o House Hunters e a minha última paixão, o Bondi Vet, na SIC Mulher!! Choro que nem uma desalmada a ver os animaizinhos doentes e depois restabelecidos, mas adoro ver aquilo e estou em crer que se não fosse tradutora era gaja para ser veterinária - menos de cobras e crocodilos e bicheza do tipo!!

*
*

terça-feira

Show off

Just because they don't understand doesn't mean you're on the wrong path.




No outro dia fui a uma loja onde já trabalhei e encontrei uma colega que já na altura lá trabalhava.
 Conversa de circunstância para aqui e para ali, quando a antiga colega me pergunta:

- Então e meninos, tens?
- Não.
- Nenhum?
- Não, nenhum.
- Mas tu já tens quantos anos? És mais ou menos da minha idade, não és?
- Sim, tenho 40.
- Pois, então ainda vais a tempo, que agora é moda ter filhos tarde.
- Mas não quero ter.
- Oh! Nem um? Só para mostrar, para dizer que tiveste!
- Não!
- Olha, eu tive uma só para dizer que tinha, só para mostrar! Assim fico despachada!

E é isto.
A estupidez e a falta de noção em pessoa.

Não duvido que ela adore a filha, como é evidente, como eu adoraria qualquer criança que me entrasse em casa, de quem cuidasse e com quem criasse laços. Mas ter por ter, porque é o que se faz, porque sim, não faz definitivamente parte dos meus ideias de vida.
E tive a sorte de encontrar alguém que pensa como eu e que gosta de partilhar a vida comigo.

Cada vez gosto mais de ter cabeça para pensar. Sim, que a minha cabeça não serve só para carregar com este cabelo lindo!!

*
*

sexta-feira

O Gato está bem, btw

11 Books to Read After College Graduation (When You Have No Idea What's Going On) | Bustle
Podia ter lido isto, mas não li!





Eu sei que nem sempre consigo ser a pessoa mais sensata do mundo, às vezes falo mais do que devia, sem filtro, até digo coisas de que mais tarde me arrependo, mas tento sempre, sempre, não ser insensível em relação aos outros.
Por ridículo que possa parecer, porque afinal é só um gato (como dirão os seres superiores que nunca tiveram animais de estimação em casa durante mais de 15 anos), quando se conta a alguém que o gatinho tem problemas renais e esteve internado, a resposta que se quer ouvir não é um displicente:
"Ui, então, diz-lhe adeus!"
Isto vindo de alguém que chorou baba e ranho quando o gato lá de casa morreu.
Não.
Para dizer merdas destas mais vale estar de bico fechado.

E perguntam-me: Espingardaste?
Não, também.
Por respeito, por ter noção de que se abrisse a boca ia dizer merdas a mais e porque é feio ser-se indelicado para com os mais velhos.

Estou tão crescidinha, eu!

*
*


Vagueblogging - Cabe aqui tanta coisa

Google Image Result for http://www.slowfamilyonline.com/wordpress/wp-content/uploads/2012/01/awesome-hearts-in-nature-25.jpg




No primeiro dia custa muito.
Porque se achou que não devia ser assim; porque a notícia nos apanha desprevenidos; porque ainda não se entende bem, mas ainda se acha que é só um soluço, que terá uma resolução simples. Rápida e indolor.
Depois as informações começam a fazer efeito. As peças encaixam-se. Imaginam-se cenários - quase sempre maus. Continua-se com esperança, mas já há uma pontada de medo lá pelo meio.
Com o passar do tempo aceita-se melhor a situação, vemos que é pelo melhor, esperamos que por custar tanto agora talvez a recompensa final seja boa. E volta a esperança.

Os dias passam-se e o primeiro dia sem lágrimas é quase uma conquista.
Está tudo lá: o medo, a dor, a raiva, a culpa, a esperança e o amor.
O amor em todas as suas formas e intensidades.

Hoje, para mim, foi o primeiro dia sem lágrimas.
Um bom dia, portanto...

*
*


quarta-feira

É tudo ao lado! (Não imaginam quanto tempo demorei a escrever isto!)

Turn off your computer and go outside #typography #illustration #format
Tentador...




Eu já costumo ser uma grande troca-tintas.
Troco as letras todas. Os por Is, Is por Us, éMes por éNes. Às por ésSes. Um horror, uma tragédia!
Mas hoje, hoje estou ao rubro! Estou mais disléxica dos dedos do que o valha-me deus!
E com isto são três e meia e estou tão cansada como se estivesse a trabalhar há dez horas.

Chiça penico!

*
*



terça-feira

sexta-feira

Há-de haver comprimidos para isto!

I need this to put on my door. And on a hat. Or a shirt. I just need this on a big sign tht follows me around Get any book for 99 cents. DAILY DEALS !





Quando estou a ler uma história mais envolvente, bem escrita, que me faz mergulhar no mundo descrito, acontece-me sempre uma coisa engraçada, seja em livros de trabalho ou de lazer.
Quando pressinto que as coisas vão correr mal a determinada personagem, fico com dores de barriga, o coração bate-me mais depressa, fico com medo e aviso-as mentalmente: Não faças isso! Não cases com ele! Não vás por aí! Cuidado!

Como se tivesse alguma influência no resultado; como se o livro não estivesse já escrito!
Silly me!

*
*

terça-feira