terça-feira

I Believe!





Longe vão os dias em que fazia listas praticamente infindáveis de intenções de Ano Novo.
Isto de ter 35 anos tem alguns aspectos positivos.
Um deles é que vamos aprendendo umas coisitas e vamos identificando o que funciona e o que nem por isso!
As listas de intenções de Ano Novo não funcionam comigo.
Pronto. É uma constatação fácil de fazer e ainda mais fácil de comprovar.
Dizer que vou comer menos chocolate, que vou deitar-me a horas decentes, que vou ter mais paciência e que vou lavar os dentes pelo menos três vezes por dia, não funciona!
Porque continuo a comer a mesma quantidade de chocolate, deito-me ora às dez da noite ora às quatro da manhã, tenho a mesma (pouca) paciência que tinha há dez anos - se não tiver menos ainda - e lavo os dentes duas vezes por dia - a saber: ao acordar e ao deitar!
Isto dos pacotes de intenções é tremendamente falível, porque me falta sempre a energia e até a memória para os cumprir, de modos que chego a Março e das doze intenções só já me lembro de duas ou três. E como já não me lembro do resto, mais vale deixar aquelas para o ano seguinte!
Mas que idiotice suprema!
Por isso, de há algum tempo a esta parte, estipulo apenas UM objectivo a cumprir. UM propósito para trabalhar durante todo o ano e encaro-o com toda a seriedade.
Em 2009 propus-me a controlar a minha impulsividade, pensando mais de dois segundos antes de falar.
Consegui pôr este príncipio em prática e colhi grandes benificios. (Embora ainda haja espaço para melhoramentos!)
Assim sendo, para 2010 o objectivo é...
(Som de rufar dos tambores!)
Organizar melhor o meu tempo, workwise.
E pronto. É só isto. Dispensa mais explicações, porque quem me lê e me conhece sabe perfeitamente que a minha organização temporal para os assuntos laborais é no mínimo caótica.

Vamos repetir todos para que fique bem claro:



Em 2010 vou organizar melhor o meu tempo.



E agradeço que acreditem que vou ser capaz de cumprir esta intenção!!



*
*

Ahh! E Feliz 2010 para todos e mais alguém!!
*
*


Em Época de Partilha, Espeto de Coiso!


Durante muito tempo achei que era extremamente egoísta.
Mas a verdade é que o meu egoísmo não se reflecte a nível material.

Quando ia à loja e o senhor Madeira me dava um chupa-chupa eu dizia obrigada e a seguir pedia um para o meu irmão. Quando chegava a casa, dava mesmo o chupa-chupa ao meu irmão, não ficava com ele para mim.

Já não têm conta as camisolas, casacos, cachecóis, brincos e sei lá mais o quê, que dei porque alguém me disse: - Oh, que lindo!
Não me custa nada dar coisas. São só objectos.
Além de que se me apetecer compro outros!
E gosto da sensação de oferecer, de fazer alguém feliz com um simples gesto.

O meu egoísmo reflecte-se a nível de emoções.

As pessoas que eu amo são só minhas.
Ninguém as ama mais do que eu.

O Nuno tem muitas pessoas que gostam dele, mas ele é o MEU amor mais lindo.
A minha melhor amiga até pode ser amiga de mais pessoas, mas é a MINHA melhor amiga.

Categorizo as pessoas consoante os meus afectos e custa-me partilhá-las com os outros.
Custa-me saber que pode haver afectos mais intensos, mais abnegados que os meus.
E custa-me sobretudo quando sinto que um dia eles podem não ser correspondidos.
Não consigo imaginar nada pior do que gostar de gente que não gosta de nós.
Aterroriza-me pensar que as pessoas que amo e que me amam também, um dia possam deixar de sentir o amor que hoje julgo ser intemporal.
Não sei se é o medo de ficar sozinha, se é apenas um forte sentimento de posse.

Por isso, não acho agora que esta dificuldade em partilhar afectos seja egoísmo puro.

Quando temos alguma coisa mesmo valiosa a tendência é protegê-la e acarinhá-la.


Deve ser isto que eu sinto.


*

*




segunda-feira

Nem o Frio!


Imagem tirada da Net
*
*
Quem tem amigos como os meus não precisa de ir para o ginásio fazer trabalho abdominal!

Basta passar uma noite como a de sábado em que nem o frio nos impediu de rir até mais não!

As conversas que temos são impagáveis (e impensáveis noutros contextos!!)!


Não sei o que me doía mais, se os abdominais se as bochechas!

...

Ou os pés!!


*

*


sábado

Ahhhh, L'Amour!...






O dia foi normal.
O jantar foi óptimo.
Estava frio.
*
*
Ao chegar a casa tinha estas flores à minha espera.
E algumas palavras que compensaram a normalidade do dia.
*
*
Continua a valer a pena.
Cada vez mais.
*
*
E o brinde: "Venham mais dez..."
"Dez mil..."
*
*
Ahhhh, l'amour!...
*
*

sexta-feira

Mimo ou a Cabrona da Vida Que é Mais Caprichosa Que Eu!!



Contam-me que se chorasse às onze da noite porque queria um determinado chocolate, o santo do meu pai ia ao café comprar-mo. Eu não me lembro de nada disto, por isso pode ser apenas um mito urbano para justificar como sou mimada!

Porque sou... e muito.

Depois de uns pais que embora me contrariassem de vez em quando me davam tudo o que podiam, mesmo que eu não quisesse - neste aspecto a minha mãe batia o meu pai aos pontos porque todos os dias me dava uma ou mais chineladas no rabo!! (coisa que euzinha dispensava, mas com a qual aprendi a viver e até a fazer troça - para grande desespero da minha mãe) - encontrei alguém que, não me fazendo as vontades todas (estávamos desgraçados) me mima até mais não.

Por isso, quando o trabalho aperta e a disponibilidade para o mimo diminui, fico desorientada, como se fosse um agarrado à espera da próxima dose que nunca mais vem...
Eu sei que isto é muito mau. Que não é coisa de gente crescida, mas eu tenho também o Síndroma do Peter Pan!
Não quero crescer se isso significa deixar de ter acesso às coisas boas... como mimo!

Hoje, ao contrário dos últimos nove 18 de Dezembro, não vou ter mimo durante todo o dia. Vou ter de me contentar com um jantar...

Custa-me, mas sei que não é por vontade nossa.

É a vida que se abate sobre nós; que contraria os nossos desejos, que se mostra implacável mesmo quando eu faço birra!


A lata da gaja!


*

*

quarta-feira

Cores e Sabores Para 2010


Já começa a cheirar a fim do ano, por isso hoje meti mãos ao trabalho e personalizei a agenda de 2010.
Ficou lindona!

Desde miúda que gosto de forrar tudo e mais alguma coisa.
Caixinhas, cadernos (tive inclusive um caderno todo forradinho com fotografias do Matts Magnusson que era my pride and joy!!), dicionários e no fundo tudo o que precise de ser revestido!

Ainda não lhe perdi o jeito! Demoro horas a escolher os retalhos que melhor se adaptam a mim e mais horas a organizá-los, mas são momentos de puro prazer.

Fico com a cabeça leve, leve...

E com os dedos cheios de cola!


PS - Sim, eu sei que o Matts era do Benfica, mas o sorriso dele era delicioso e a bem dizer eu andava no oitavo ano!!

*
*

terça-feira

Um Pequeno Passo Para a Humanidade, Mas Um Gigantesco Passo Para Mim!


Hoje fiz o impensável e comprei um vestido!

O que tem isso de mais? Perguntarão vocês.
Tem tudo.

Eu só uso saias no Verão, mais concretamente na praia e porque calças não dá jeito.
Foi uma paranóia que me ficou da adolescência, quando as minhas pernas e as da Olivia Palito eram exactamente iguais.
Por isso, durante muitos anos não fui capaz de andar com as pernas à mostra.

Este vestido fica uns bons cinco centímetros por cima do joelho. Claro que o vou usar com botas de cano alto, de modos que vou ter dez, talvez quinze, centímetros de perna "desprotegida"!!

É que isto tem de ir aos bocadinhos!


*
*

Gelo, Céu Azul e Gargalhadas!


Ai!!
Há dias em que a blogosfera é um marasmo sem fim! Incluindo os textos desta vossa amiga que aqui se exprime. Mas há outros em que todos os autores parecem estar tremendamente inspirados e mesmo que seja para partilhar detalhes absurdos, fazem-no com tanta graça que me deixam com dores na barriga de tanto me rir!

Hoje é um dos dias em que acho piada a tudo!
Estou farta de me rir com as idiotices de uns e outros.

Só pode ser do frio! O Tico e o Teco devem ter congelado e qualquer réstia de inteligência e discernimento que ainda me restava está envolta numa camada de gelo impermeável!!

Preciso de mais dias assim!!
São muito bons!



*
*

Surpresas Musicais!

É linda, verde e quando se fecha parece uma caixinha de fósforos!



Não me lembro se alguma vez falei do quanto gosto de caixas de música.
Às tantas nunca me ocorreu.

Mas a verdade é que tenho uma adoração por estas caixinhas mágicas que com um toque nos levam para outro mundo, ao som de acordes melodiosos que fazem sonhar.
Tenho uma predilecção especial por aquelas caixas clássicas que têm uma bailarina extraordinária que nunca se cansa de fazer piruetas ao som de Mozart ou Chopin. Acho-as lindas, talvez porque um dia também eu quis ser bailarina, usar um tutu cor-de-rosa e uma tiara de penas no cabelo enquanto rodopiava nos braços de um Nureyev (de preferência menos gay!!).

Por isso, qual não foi a minha surpresa quando, ao abrir um envelope verde, encontrei lá dentro um presente, também com um papel verde, um postal (escrito a verde - e sei que não foi coincidência!) e uma etiqueta deliciosa...

Uma querida amiga enviou-me uma caixinha de música com o Gingle Bells!
Fez-me sorrir e quase chorar.
Fiquei com o coração quentinho!

Agora podem dizer: é a magia do Natal, que aproxima as pessoas.
Mas eu cá digo que não.
É o carinho, a preocupação, a empatia e o sexto sentido que fazem com que uma pessoa se sinta em sintonia com outra.
E isto não acontece só durante a época Natalícia.


*
*

segunda-feira

Dias Perfeitos...ou Quase


Este fim-de-semana foi quase, quase perfeito.

Começou com um jantar óptimo e um bolo de bolacha melhor ainda, acompanhado de vinho, café, boa conversa e gargalhadas do melhor que há!
Gosto destes momentos simples, despreocupados que me fazem sentir viva, leve e bem disposta.
É definitivamente a repetir e dizem as más línguas que será uma vez por mês!

No sábado voltámos a encontrar-nos e fomos dançar!
Ri-me com vontade ao ver um daqueles homens que ficou preso nos anos 80, como dizia a Catarina, e continua a dançar como se os Bee Gees ainda fossem os reis da Pop!
Acredito que um adolescente que me observe a dançar também sinta estes incontroláveis acessos de riso, mas juro que aquele senhor, embora "embrulhado" na fatiota do momento (a saber: fato preto, camisa branca e gravata fininha a fazer lembrar os Beatles) parecia estar ligado à corrente!

Diverti-me, dancei, bebi, tive uma daquelas conversas fabulosas com um amigo de quem gosto muito e que estava mais solto com a ajuda de um copo ou dois a mais, ri-me com vontade e rendi-me às evidências: já não conheço as músicas mais in. Desde que me lembro de ir a discotecas, há sempre meia dúzia de músicas que mal começam a tocar, provocam uma onda de wôôôôô!! entre o pessoal. Pois tirando a dos Black Eyed Peas (que a propósito, já me enerva e não tarda nada dá-me náuseas) não conheço grande coisa de dance music. E quando começou o não-sei-das-quantas-que-é-rapper-ou-hip-hop-artist-mas-de-quem-nunca-ouvi-falar então é que foi!
Não que este facto me entristeça, pelo contrário, só vem confirmar que os meus gostos continuam a não fazer parte da onda comercial e dançante, o que para mim é óptimo!

O domingo foi o dia da ronha por excelência.
Depois de um café fenomenal ao sol e com a melhor companhia de sempre,dormitei, vi televisão, li, ouvi música (baixinho, que ainda tenho os zumbidos dos ouvidos a troar!!) e deliciei-me com a vida, que às vezes é tão simples e tão boa!

E quando as coisas complicam, nada como fechar os olhos, respirar fundo e contar até dez.

É que se nós deixarmos, as coisas boas, os dias perfeitos (ou quase), os sonhos e desejos que julgávamos inatingíveis tornam-se realidade. Acontecem mesmo.

Ainda que por vezes venham um pouco atrasados...


*
*

terça-feira

The Past Few Days


Eu não acredito nesta coisa dos horóscopos, mas às vezes fico espantada com o que dizem.
Este é o horóscopo do freedictionary, o meu dicionário online favorito.
É que neste caso não tiro nem acrescento uma palavra.
'Dass!


Over the past few days, dear Leo, you may have felt somewhat frustrated in your initiatives. Either outside obstacles, such as events that caused delays, or inner restraints, such as your own apathy, presented a clear challenge to you. Before you can make any real progress, certain matters must be resolved. The day ahead may give you an opportunity to settle these issues once and for all.

From /www.thefreedictionary.com

*
*

segunda-feira

Friendship Makes The World go Round!

Imagem tirada da Net



Acho piada à maneira como a empatia entre as pessoas aparece.

Por vezes nem damos por nada; conhecemos alguém que até é simpático, percebemos que somos de gerações e background culturais semelhantes, começamos a conversar e quando damos por ela já somos amigos. Falamos sem constrangimentos daquilo que recheia as nossas vidas, permitimo-nos brincadeiras, piadas e cumplicidades que julgávamos estarem reservadas apenas para as nossas "pessoas".
E crescemos enquanto indivíduos. Porque conhecer outras perspectivas de vida, outras realidades e perceber que as nossas questões individuais também são entendidas enriquece-nos.

Eu sempre gostei de conhecer gente. Gosto de conhecer as histórias das pessoas que me interessam e gosto de partilhar as minhas próprias histórias.
Já me aconteceu ter grandessíssimas desilusões, mas continuo a achar que a disponibilidade para conhecer gente nova é um dos grandes sinais de vitalidade da nossa estrutura social.

Não troco os meus amigos por nada deste mundo. Tenho excelentes amigos, que me podem valer quando preciso deles, que me acham piada (vá-se lá saber porquê!!) e que me fazem rir tão despreocupadamente como uma criança, sem qualquer preocupação nem observações de convenções sociais.

Mas amigos nunca são de mais.
Todos têm o seu lugar próprio, a sua função.
E todos me fazem bem.

*
*

A Estrela


E cá está ela!
Colocada a dois, como sempre.
Linda como sempre!

*
*

domingo

Natalisar a Casa!

A minha Árvore Branca!
Sim, ainda falta a estrela, mas essa não a posso colocar sozinha. É a tradição cá da casa!




E a Coroa Preta!





Nada como "Natalisar" (não fui eu que inventei, mas adopto a expressão com regozijo!!)) a casa para levantar a moral.

Ontem já mudei a disposição da sala toda para acolher melhor a árvore e poder vê-la do escritório! Assim, enquanto estiver a trabalhar posso ver o meu Natal!
Upa! Sofá para um lado, mesa e cadeiras para o outro... e já está!

Ao começar ainda me afligi, porque não tinha todas as condições reunidas... não encontrei os meus cd's de músicas natalícias e como é por demais óbvio, não posso "fazer o Natal" (esta expressão sim, é minha!) sem música adequada!

A quem é que emprestei os meus cd's?

Resolvida a questão com o mp3 (eu sou uma gaja antiga, ainda uso mp3), dediquei-me à tarefa tão ansiosamente esperada!
Ele foi um desfilar de ramos e troncos de verdes (e sintéticas) agulhas, três jogos de luzes, bolas, estrelas, penas, bengalas e fitas.

Onde faz falta uma bola?
Para onde vai aquela estrela?
Deste lado tem mais luzes que do outro!
Kika não roas a árvore!!
Simas deixa as estrelas em paz!

Quando dei por ela, tinham passado duas horas e a árvore de Natal estava mesmo como a tinha imaginado!
Todos os anos mudo a decoração da árvore e este ano apetecia-me que fosse branca. Toda branca.
Em contrapartida, a coroa da porta é preta!

É assim um bocadinho como eu, às vezes luminosa, outras sombria.

Mas está tudo lindo!
E vai ficar assim durante um mês, até ao dia de Reis.

*
*

sexta-feira

Contador


Ultimamente tenho andado a conter-me.

Perguntaram-me se ando sem inspiração, um querido e desconhecido anónimo mandou-me um e-mail a perguntar por que motivo os meus textos andam ultimamente tão irregulares, tão superficiais... o e-mail era realmente simpático (só por isso falo nele), no entanto não vinha assinado, não tenho como responder e também não sei se me apetece.

Mas fiquei a pensar.

Porque por vezes há alturas em que de facto me falta a inspiração. Alturas em que ando tão ocupada, com a cabeça tão cheia de tudo e mais alguma coisa que não consigo encontrar palavras para aqui colocar.

Não é o caso.

Tenho muito dentro de mim que gostava de dizer e contar. Não que sejam coisas de interesse planetário, são só as parvoíces do costume, os macacos que me habitam o sótão...
As últimas semanas foram até muito ricas em termos emocionais, o que noutra altura daria uma boa remessa de textos.

Mas não sei porquê, desta vez apetece-me guardá-las, cada uma na sua gaveta, em vez de as partilhar com as pessoas que me vão lendo.
Isto é engraçado, porque em última análise escrevo para mim, não faço textos assim ou assado para agradar a ninguém. Mas da mesma forma que por vezes sinto necessidade de deixar registados os meus desvarios, outras prefiro deixá-los bem arrumadinhos (ou caoticamente ordenados) no meu contador...

Ainda ontem falava disto com uma amiga, como seria prático arrumar as diversas coisas que nos ocupam a cuca em gavetinhas absolutamente herméticas.

O meu contador tem muitas gavetas.
Nem todas estão ocupadas e nem todas estão bem arrumadas, bem fechadas...
Numas tenho o Amor, noutras os Desejos, noutras a Liberdade, noutras ainda a Saudade. Muitas estão cheias de Sorrisos, de Amizade, de Confiança. Tenho uma ou duas fechadas com oito chaves (adoro subverter as expressões populares e moldá-las à minha vontade!!) porque nunca mais as quero abrir.

Tenho tanto, tanto a inundar-me a cabeça, o coração e a alma que mesmo que quisesse começar a sistematizar não saberia por onde começar.

Por isso, por enquanto, mantenho-me assim, menos inspirada para uns, mais fechada para outros.
Guardo tudo dentro de mim e quando/se me começar a sufocar logo se verá.


*
*

quarta-feira

All That I Am, All That I Ever Was, Is Here In Your Perfect Eyes... They're All I Can See





Porque hoje só me apetece ouvir isto.

É uma das melhores canções de sempre!

Snow Patrol Rock!!




*
*

terça-feira

Isto Sim, É Um Prémio!



Prémios Melissinha de Ouro 2009


Este espaço virtual onde desaguam as minhas parvoíces, não poderia passar para o próximo nível na hierarquia da blogosfera antes que fosse debatido o seguinte tema: Sapatos. (Praticamente todos os blogues femininos falam disto... o que só acrescia aos meus motivos para não o fazer, mas hoje tem de ser!)

Nunca aqui falei de sapatos, nunca disse que adoro tacões altos, mas que não os consigo usar durante muito tempo, que amo de paixão sabrinas e sapatos de vela, que tive um caso de amor com umas Stan Smith da Adidas que me duraram uma porrada de anos e que limpava com toda a dedicação com Cif branco. Que adoro botas de cano alto, mas que não gosto de as usar por cima das calças, como toda a gente usa...

Nunca disse que o meu sonho de consumo ali ao nível dos calcantes não é ter uns Louboutin, uns Jimmy Choo's ou uns Manolo Blahnik, pelo menos não enquanto os senhores não começarem a criar sapatos e botas com menos de trinta e oito centímetros de salto!
Neste momento, apetece-me mesmo é seguir o conselho de uma querida blogofriend e comprar umas Ugg, quentinhas, com pêlo e rasteirinhas!

Assim sendo, e para acabar com a conversa dos sapatos (agora percebo por que nunca falei disto: booooring!!) resta-me apenas acrescentar que recebi um Prémio catita!
Com nome de sapato, que curiosamente é o mesmo da generosa mecenas que o ofereceu! Até aposto que ela partilhará o meu gosto na escolha da imagem para ilustrar o dito Prémio!

Melissinha De Ouro 2009

Obrigada, Mel!!

*
*