segunda-feira

Breves constatações



Constatação 1: Sou Sportinguista desde que me conheço como gente, serei Sportinguista até morrer e orgulho-me disso.

Constatação 2: Nutro pouca simpatia pelo Benfica, menos simpatia ainda pelo FC Porto. Gosto do Braga. Todos os restantes clubes são irrelevantes.

Constatação 3: Estou francamente contente por ter acabado o campeonato e todas as outras competições futebolísticas, porque já não aguento mais piadas sobre como são deliciosas (principalmente para os tripentaocto-e-tal campeões) as derrotas dos restantes clubes, principalmente as do Benfica.

Constatação 4: Acho uma pobreza de espírito tremenda um adepto ficar mais contente com as derrotas dos seus adversários do que com as vitórias do seu próprio clube.

Humphh!

*
*

quarta-feira

Ui...

Acabei de aceitar um livro com mais de 750 páginas!
Dizer que tenho sentimentos contraditórios em relação a isto é o understatement do ano!

750 páginas é para lá de bom, mas se às vezes me "farto" de um livro de 350, o que será de mim nas 400 seguintes?!!

God help me!!



*
*

quinta-feira

Oi?

Ouvido na tv há uns dias:

"Uma mulher não chora à toa sem motivo."

Ora, vamos lá ver... Se uma mulher não chora à toa sem motivo, quer dizer que chora à toa quando tem um motivo, certo?! Mas... se tem um motivo, não chora à toa!!

Um caramelo para quem adivinhar o autor desta pérola de sabedoria!!

*
*

terça-feira

Era só para dizer




que os fatos de banho da HM só ficam bem à Byonce, ok?!
Em corpos relativamente normais, sem grandes cus e com uma barriguita (como eu) ficam mal para caraças.

Ou então faltava-me o photoshop...

Era só isto.

*
*

Silver Linings - ou Como tudo tem um sentido (mesmo quando não parece)....



"There’s something about that recovery process that feels so good. If nothing ever broke, you’d never know the thrill of fixing it. If you never made mistakes, you’d never learn from them. And if you never experienced the pang of a little emptiness from time to time, you’d never know the satisfaction of being filled back up. Or maybe that’s just the silver linings talking."


Daqui:
http://www.kellehampton.com/


*
*

quarta-feira

Em Stand-by




Eu leio muito. Porque faz parte do meu trabalho e porque é o que mais gosto de fazer quando não estou a trabalhar.
Estranho, já sei.
Sempre li todos os tipos de livros e tinha um grande orgulho em afirmar com propriedade que nunca deixava nenhum livro a meio (porque, quem sabe? a surpresa podia estar mesmo no fim)!

Depois tentei ler Saramago e não gostei. Debati-me muito, mas acabei por deixar dois livros dele a meio.
Continuei a ler muito e a achar que é feio não acabar os livros, é cruel não dar uma segunda oportunidade à história, às personagens, ao autor, que pode ter tido um rasgo de génio no último capítulo, talvez até no prólogo.
Só que entretanto o meu tempo para as leituras por prazer diminuiu, a minha capacidade de sacrifício também e agora dou por mim (depois de ter lido um punhado de livros seguidos realmente bons) incapaz de "gastar" tempo em livros que não me motivam, em personagens que me irritam e em autores que, por muito bem que escrevam, não me conquistam. É muito triste e um pouco perverso até, estar a olhar para as 300 páginas lidas e pensar "Bolas, que ainda faltam 500...", ou "Chiça, isto é muita parra e pouca uva".  Gosto de livros grandes e já li muitos a poupar páginas, a fazer contas ao minimo de páginas que conseguia ler por dia para conseguir saborear melhor a história e o livro durar mais. Caraças, já chorei por acabar de ler livros que amei!

Para mim, também não tem grande importância que toda a gente tenha gostado de determinado livro, que todos me digam que vale a pena, que não posso deixá-lo a meio. Posso, pois!
Cada livro tem um significado diferente para cada um de nós.

E decidi não sacrificar mais tempo a ler uma coisa que não me prende.
Talvez noutra altura volte a pegar nele e se dê o clique!

*
*