quarta-feira

Amanhã uma Pinóia!

Publicidades à parte, é isto mesmo!

Há qualquer coisa na palavra "Amanhã" que é profundamente falaciosa, completamente irrealista e fútil porque se hoje não corre bem, o "amanhã" é um conceito condenado à partida.
Amanhã vou trabalhar mais e recuperar o que não fiz hoje.
Amanhã não vou comer porcarias e reparar os estragos que fiz hoje.
Amanhã vou deitar-me mais cedo e dormir melhor.
Amanhã é que vai ser.
Amanhã... amanhã...

Estou a começar a detestar esta maneira de pensar. É absolutamente estéril, vazia, infrutífera e falsa.
Chega!

*
*


terça-feira

A Miúda Foi Fazer RPM



Hoje estava no ginásio, já no fim da aula, com a sensação de dever cumprido e pronta para vir trabalhar mais um bocadinho, quando ouvi uma miúda a queixar-se a outra: Ai, estou cá com uma vontade... estar aqui é hoje é como matar-me. A outra perguntou: Mas marcaste com o pt? E ela responde: Não, mas ontem foi domingo e não vim; já viste, se não viesse hoje... TEM de ser! Mas olha, parece que me estão a matar.

Ok, já sei que às vezes é preciso insistir, que quanto menos vezes se vai ao ginásio, menos se tem vontade de ir, mas caramba, TER de ir ao ginásio hoje porque ontem não se foi e, que deus não permita, faltar dois dias seguidos equivale praticamente a sacrilégio... É pá, é um bocadinho exagero.
O desporto pode ser altamente viciante, mas a não ser que se seja atleta profissional (e não creio que fosse o caso!), não me parece que deva ser uma tamanha obrigação.
O ginásio, para mim, é um local onde vou desintoxicar, onde me divirto, onde esqueço as frases (os parágrafos, caraças, os livros) filhos da mãe, onde procuro tratar do corpo, sim, mas sobretudo onde esvazio a cabeça. Jamais o sentirei como uma obrigação, como uma morte; porque no dia em que isso acontecer o propósito perdeu-se. Deixa de fazer sentido.

Compreendo que nem toda a gente pensa como eu, que há quem só queira cuidar do corpo e comer ervilhas de manhã, à tarde e à noite, mas tenho cá para mim que fazer desporto contrariado (ou fazer de conta que se faz - sabem aquelas pessoas que fazem rpm e mesmo nos momentos mais difíceis pedalam, pedalam e pedalam como se estivessem a ser perseguidos por uma trupe de zombies?!) até é coisa para fazer mal!
A mim fazia.

*
*

Sem Ofensa aos Palhaços...



Eu sei que não tenho por hábito fazer análise política aqui, nem tão pouco vou conspurcar este espaço de elevadíssima qualidade com fotografias dos nossos governantes; também sei que já estou um pouco atrasada, mas pensei que com o passar dos dias me chegasse o entendimento daquilo que se passou nas últimas semanas entre pr e governo (sim, em minúsculas, que não me merecem mais)... pois, não chegou entendimento nenhum e continuo a achar isto tudo uma gigantesca, colossal, homérica palhaçada!
Digo honestamente que a única vantagem que encontro num governo de salvação nacional com a participação dos principais partidos políticos é a partilha de responsabilidades entre todos, logo, a impossibilidade de andarem a apontar o dedo uns aos outros, tipo putos chibos: Nhã-nhã-nhã-nhããã, quem fez merda foste tu!
Mas onde é que se admite que o pr ordene que se faça X, que os partidos se reúnam, façam ouvidos de mercador à recomendação presidencial e a seguir o pr venha dizer: Pronto, os meninos não querem X, então fazemos Y, que é a mesma merda que tínhamos antes. Acabem lá de brincar e para o ano logo se vê!
Onde é que isto se admite? Em Portugal, pois claro!

Isto é o quê? Uma grande palhaçada.
Que vergonha.

*
*







segunda-feira

Yes, This Is a Cult!

Sim, estava longe, mas ainda consegui
uma ou duas fotos de jeito! (Clicando
aparece maiorzito!)


Então... quanto às expectativas...
Só não foi o melhor concerto de sempre porque fiquei muito longe e não consegui puxar o pé ao Jared!!
De resto, tenho duas palavras: Feno-Menal!! A música estava fantástica, a voz dele é tão boa quanto nos discos (o que não acontece com muitos vocalistas) e o ambiente estava óptimo!
Adorei!
Não tocaram uma das minhas músicas favoritas, mas mesmo assim valeu tanto a pena, mas tanto, que comecei a fazer uma poupancinha para os ir ver mais uma vez em Outubro, ao Pavilhão Atlântico!

Entretanto, fica mais uma boa memória para a caixa das recordações, porque não se explica por imagens nem palavras o que senti quando o ouvi cantar uma das frases mais bonitas que alguma vez ouvi na vida...

*
*


sábado

Provehito in altum



Este ano está a ser rico em concertos.
Ontem não pude ir ver o James Morrison porque não tinha companhia, mas hoje vou ver estes tipos aqui em cima, cuja música me acompanha desde os tempos em que ainda eram quatro! Já lá vão uns aninhos.
Gosto de quase tudo o que eles fazem, gosto da maneira como abordam os temas mais polémicos, como apoiam causas verdadeiramente importantes e a maneira como o fazem, mostrando que a música pode ser um meio de intervenção e união. (Sim, já sei, pareço uma groupie a falar!!)

Sei que pode não ser para todos, mas para mim, os 30 Seconds to Mars não são apenas uma banda de rock mais ou menos alternativo, são uma banda completa onde os concertos, as músicas, as letras, os vídeos e as intervenções têm de facto um significado.

Isto tudo para dizer que estou com expectativas elevadíssimas. E estou cheia de medo que o concerto não me encha as medidas!
Mas juro que se o Jared Leto fizer crowd surfing até onde eu estiver, lhe puxo um pé e lhe espeto uma bela beijoca... na testa!!!!!

Amanhã conto como foi e pode ser que já tenha uma foto tirada por mim!


*
*



sexta-feira

O Trigo do Joio



Esta é uma lição aprendida a algum custo, com algumas lágrimas e desilusões, mas acho que me entrou finalmente na pinha e instalou-se naquele lugar da memória de onde as coisas não saem nunca mais: Eu só quero bem a quem me quer bem, só preciso de quem precisa de mim, só quero na minha vida quem me quer na sua.

E era isto.

*
*

terça-feira

Cookie monster!



Os doces são definitivamente a minha confort food. Apanhei-me sozinha em casa a horas inusitadas e, sem sequer arriscar deitar-me e ficar a rebolar na cama incapaz de dormir, pus-me a fazer bolachas! Tenho um robot de cozinha novo que faz o trabalho chato todo e bolachar tornou-se ainda mais fácil! Ainda coloquei umas sementes de chia (que diz que é saudável, tem muita fibra e coisa e tal) para disfarçar, mas não deixam de ser bolachas de manteiga! Prometi não comer mais de três seguidas, mas... 

*
*

Ana Thorpe? - Yeah, mate, that's me!




Todos os que me conhecem sabem que adoro o meu trabalho. Adoro ler, leio por prazer e porque faz parte da profissão que escolhi.
Mas isto anda a dar cabo de mim; como dizia no outro dia, alimenta-me a alma, mas destrói-me o corpo.
Todos os médicos e terapeutas que consultei por causa desta dor ou daquela me disseram a mesma coisa: Enquanto tiver este trabalho, vou ter sempre contraturas, tendinites e inflamações. Que bom, pá!
Andei a estudar tantos anos, recomecei do zero para poder fazer o que verdadeiramente amo e vai-se a ver, além do imenso prazer e satisfação que me dá, também me dá estas ricas dores de tudo e mais qualquer coisa.

Em certa ocasião, ainda estava na faculdade, vimos um professor nosso a chegar com uma pasta de rodinhas, onde trazia livros, folhas e sei lá que outros materiais para a aula. Quado começámos a brincar com ele a dizer que parecia uma velhinha a puxar o carrinho de ir às compras, ele disse-nos que aqueles de nós que optassem por ser tradutores, e passassem horas e horas em frente ao computador, em menos de dez anos iam entender a necessidade daquela pasta com rodinhas. Dizia ele que os braços e as costas já não aguentavam o peso dos livros. Na altura, ele tinha 40 anos. Isto foi há 9. E eu tenho 38 e 11 meses!
Damn!!

Como não quero deixar de fazer o que faço (e já troquei de secretária, de cadeira, de teclado, de computador, até troquei a altura do monitor) acho que está na hora de aceitar que são mesmo estes os "ossos do ofício". O problema sou eu e também está ao meu alcance controlar o desgaste que o trabalho provoca.
Aparentemente, o que me faz mesmo bem é natação e hidro-ginástica, mas assim a potes! (Começou bem, no primeiro dia fiz 8 piscinas, no segundo 12 e no terceiro 26! Agora dói-me as pernas, mas é uma dor boa!!)

Portanto, é uma questão de começar a criar guelras e ala que o caminho é para a frente!
Isso e comprar uns óculos que não me magoem, que ontem vi a piscina cheia de neblina e pensei que fosse da condensação, mas parece que não, o ar estava límpido, límpido... ao contrário dos olhos que de tão vermelhos, estavam quase roxos!!


*
*



quinta-feira

So Pretty...





*
*

terça-feira

Oblivion*



As férias já terminaram, as malas já estão arrumadas, a roupa já está lavada e a casa já está mais uma vez em (relativa) ordem.
Está na hora de voltar às rotinas, ao trabalho, ao ginásio, à vida.
Está na altura de recomeçar, de procurar pela concentração que teima em fugir-me e esquecer as coisas e pessoas que me incomodam, que me moem o juízo, que me magoam.
Disciplina procura-se.
E amor próprio também. Ando em falta para comigo.






*Uma das minhas palavras favoritas, que pode traduzir-se por Esquecimento, Alheamento...

*
*